BH: Aécio aparece na campanha do 2º turno pela 1ª vez

Folha de S.Paulo 

Pela primeira vez no segundo turno para a Prefeitura de Belo Horizonte, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) entrou na campanha de seu aliado, João Leite (PSDB), no programa de TV desta quinta-feira (27).

Leite, que chegou ao segundo turno na liderança, aparece nas últimas pesquisas de intenção de voto numericamente atrás de seu adversário, Alexandre Kalil (PHS). A declaração de Aécio ocupou dois minutos do programa noturno de Leite (de um total de cinco minutos).

O senador inicia sua fala justificando sua aparição. “A tentativa dos nossos adversários de desconstruir tudo aquilo que foi feito em Belo Horizonte e em Minas ao longo de mais de dez anos, por tantas pessoas de bem, me obriga a estar aqui hoje”, diz.

No vídeo, Aécio acusa Kalil de ter feito uma “campanha contra a política”. “Com isso, fizeram a má política”, afirma o senador. Ele defende a “boa política”, e cita seu avô, Tancredo Neves (1910-1985), como exemplo. No final da gravação, Aécio diz que Belo Horizonte precisa de “experiência e capacidade”. “Vamos com João Leite, porque Belo Horizonte merece respeito”, conclui.

Tucanos largam na frente na semana decisiva do 2º turno

Cinquenta e cinco cidades brasileiras com mais de 200 mil eleitores saem às ruas no próximo domingo (30) para o segundo turno das eleições municipais de 2016.

Os três partidos com o maior número de candidatos nessas cidades são PSDB (19), PMDB (14) e PSB (9). O PT concorre em apenas sete. Como já venceu em 14 das 93 maiores cidades do país, o PSDB pode comandar 33 municípios. O PMDB pode somar 21 e o PSB, 12.

Entre os 55 municípios, 18 são capitais. O PSDB é competitivo em seis e como já venceu em duas no primeiro turno, pode somar oito.

Em segundo lugar está o PMDB, que pode conquistar quatro, e, em terceiro, aparecem PSB e PSD, que podem vencer em três.

/**/

No Recife, definidos apoios para o Segundo Turno

Cinco dias depois da votação que definiu o segundo turno para a Prefeitura do Recife (PE), no domingo (2), todas as alianças entre os oponentes de primeiro turno já estão desenhadas na capital pernambucana. Uma das últimas legendas que concorreram ao pleito a anunciar seu posicionamento nessa última etapa, o PSOL divulgou ontem (6) que é oposição ao atual prefeito e candidato à reeleição Geraldo Júlio (PSB), mas não apoiará o candidato do PT, o ex-prefeito João Paulo.

Durante a semana o prefeito Geraldo Júlio (PSB) já havia recebido o apoio do DEM, PSDB e PV, enquanto o ex-prefeito João Paulo (PT) contou com a adesão de Pantaleão, candidato do PCO que ficou em último lugar na disputa, conquistando a preferência de 0,05% do total de eleitores, exceto brancos, nulos e abstenções.
Parte da base do governo do PSB até o início do ano, o DEM e o PSDB foram os primeiros a anunciar quem apoiariam no segundo turno. A decisão foi tomada em reunião conjunta realizada na última segunda-feira (3). Segundo nota divulgada pelos partidos, o posicionamento é contrário à candidatura do PT, o que gera, “consequentemente”, apoio a Geraldo Júlio.O presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves (MG), também manifestou preferência pelo PSB – que o apoiou em Pernambuco no segundo turno das eleições presidenciais de 2014.

O candidato a prefeito pela legenda PSDB, deputado federal Daniel Coelho, porém, divulgou nota informando que não apoiaria nenhum dos dois oponentes. “Tenho muito respeito à posição dos partidos. No entanto, me reservo ao direito de não declarar voto a nenhuma das candidaturas que estão no segundo turno das eleições no Recife por entender que o PT fez muito mal ao país e que o PSB não consegue se desvincular das práticas políticas às quais discordo e enxergo dentro do próprio PT”, critica.
O tucano ficou em terceiro lugar no primeiro turno, com 18,59% dos votos válidos. Já a candidata do DEM, deputada estadual Priscila Krause, obteve a quarta maior votação, com 5,43% do total.

PV, PSOL e PSTU
Na terça-feira (4) o candidato a prefeito do Partido Verde, Carlos Augusto, se encontrou com Geraldo Júlio e declarou sua adesão ao socialista no segundo turno. O PV já faz parte da base do PSB no governo, apesar de ter lançado candidatura própria. Carlos Augusto teve 0,62% dos votos válidos na votação do dia 02 de outubro.
Já a direção municipal do PSOL divulgou nota, por meio de rede social, em que critica ambas as candidaturas por atuar “em coalização com forças conservadoras e que atentam contra o necessário estádo laico e o atendimento das demandas do feminismo e das pessoas LGBTTI”, e avisa que será oposição a qualquer um dos dois projetos.
No entanto, a legenda argumenta que o atual prefeito é considerado a pior alternativa, porque “representa uma dinâmica de retrocesso às oligarquias” e “atrofiamento da democracia”. O candidato a prefeito pelo partido, deputado estadual Edilson Silva, não divulgou nota pessoal a respeito do segundo turno. Ele obteve o quinto lugar no primeiro turno, com 2,10% dos votos válidos.

A candidata do PSTU, Simone Fontana, que teve 0,12% dos votos e ficou em penúltimo lugar, não divulgou nota pública falando de seu posicionamento. Em resposta à Agência Brasil, o partido afirmou que defende o voto nulo para o segundo turno. “Nenhuma das duas candidaturas representa ou merece o voto dos trabalhadores. O PT já foi gestão durante 12 anos no Recife, e atacou os servidores públicos, em especial os professores. E Geraldo Júlio também tem atacado duramente o conjunto dos servidores, inclusive na última campanha salarial deu 0% de reajuste e não pagou o piso salarial dos professores”, cita.

Mais uma pesquisa feita no Recife aponta cenário de segundo turno

Pesquisa do Datafolha encomendada pela TV Globo aponta cenário de segundo turno, no Recife, entre o prefeito Geraldo Júlio (PSB) e o ex-prefeito João Paulo(PT).

De acordo com o levantamento, divulgado nesta terça-feira, Geraldo Júlio tem 38% das intenções de voto, ante 26% de João Paulo.

O candidato Daniel Coelho (PSDB) tem 14%, a candidata Priscila Krause (DEM) 4% e o candidato Edilson Silva (PSOL) 2%. Os candidatos Carlos Augusto (PV), Pantaleão (PCO) e Simone Fontana (PSTU) tiveram menos de 1%.

Juntos, os candidatos da oposição têm 46% dos votos, ante 38% do prefeito, o que significa cenário de segundo turno.

Pelo Ibope e o Instituto Maurício de Nassau, a diferença que separa Geraldo Júlio da soma de seus adversários é de, aproximadamente, 10 pontos percentuais.

Em relação à pesquisa anterior do Datafolha, divulgada no último dia 21, Geraldo Júlio manteve o que tinha (38%), João Paulo caiu de 29% para 26%, Daniel Coelho subiu de 13% para 14%, Priscila Krause subiu de 3% para 4% e Edilson Silva manteve os 2% que tinha.

Votos brancos e nulos nesta última pesquisa somam 11% e indecisos 5%. A pesquisa foi realizada com 1.024 questionários no dia 26 de setembro e sua margem de erro é de 3 pontos percentuais, para mais ou para menos.

Votação no Recife foi marcada por tranquilidade e excesso de lixo nas ruas

Em geral, o clima de votação foi de tranquilidade e agilidade no segundo turno das eleições no Recife, na manhã deste domingo (26). Os eleitores ressaltaram a rapidez para votar e a ausência de filas grandes. Uma reclamação recorrente, no entanto, foi a imensa quantidade de propaganda eleitoral impressa espalhada pelo chão. Combinada à chuva, a divulgação irregular gerou grandes quantidades de lixo e lama próximas aos locais de votação.

A rapidez da votação do segundo turno em relação ao primeiro se deveu ao fato de que, no Estado, os cidadãos precisaram votar apenas no candidato à Presidência da República. No primeiro turno, além do voto para presidente, era preciso digitar os números para governador, senador e deputados estadual e federal.

Para o aposentado José Pereira de Farias, 67 anos, a diferença de tempo foi bastante expressiva. “Nem dá para comparar. No primeiro turno, demorei quase duas horas na fila, um desrespeito total. Agora foi tranquilo, não tinha fila e votei em cinco segundos”, afirmou José, que votou na Escola Estadual Clotilde Oliveira, no bairro de Casa Amarela, na Zona Norte do Recife.

Votante no mesmo local, a dona de casa Maria José da Silva, 65 anos, também ressaltou a tranquilidade para votar. “Foi tudo muito rápido. Ruim mesmo é essa sujeira que eles deixam nas ruas”, disse, apontando para centenas de santinhos com os rostos dos candidatos. Sobre as expectativas para o novo governo, independentemente de quem seja eleito, Maria disse que a saúde é sua maior preocupação. “É humilhante esperar meses para uma consulta, um exame. A gente precisa de dignidade”.

No bairro de Boa Viagem, na Zona Sul do Recife, também havia quantidades expressivas de lixo e lama espalhadas nas ruas devido ao excesso de propaganda irregular. Em frente aos colégios Boa Viagem e Santa Maria, centenas de santinhos, adesivos e cartazes se misturavam à água deixada pelas chuvas. O mesmo ocorreu na Zona Oeste do Recife, em frente ao colégio Mazzarello, no bairro da Várzea, e ao longo da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), em Dois Irmãos.

Após votar, FHC diz estar otimista com a vitória tucana

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) votou por volta das 11h30min no colégio Sion, no bairro Higienópolis, em São Paulo. O tucano foi recepcionado por eleitores que, em frente ao colégio, gritavam “FHC, FHC”. fhc

Após o voto, Fernando Henrique Cardoso posou para os fotógrafos fazendo o “v” da vitória. Ele disse estar otimista com a vitória do candidato à presidência Aécio Neves. 

O ex-presidente também comparou as eleições com a disputa de 1989. “Também era assim nas Diretas Já”, afirmou sobre a corrida acirrada pela presidência. (Do Portal da Band)

Sensus fecha última pesquisa: Aécio 52,1% X Dilma 47,9%

O Instituto Sensus realizou a última pesquisa de intenção de votos para presidente, fechada há pouco, indicando liderança do candidato do PSDB, Aécio Neves, com 52,1% dos votos válidos. A sua oponente Dilma Rousseff (PT), segundo o Sensus, soma 47,9% dos votos válidos. O levantamento foi registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), sob nº 01193/2014.

Ao contrário de todos os demais institutos de pesquisa do País, como Datafolha, MDA e Ibope, que apontavam para Marina Silva (PSB) disputando o segundo turno com a candidata do PT, o Sensus foi o único a captar o crescimento de Aécio, na reta final, sobretudo após o debate da Rede Globo, indicando que ele estaria no segundo turno, como de fato aconteceu.

Computando-se todas as intenções de voto, inclusive brancos e nulos, Aécio tem 45,7%, contra 42% de Dilma. Indecisos, brancos e nulos somam 12,4%. As entrevistas foram realizadas nesta sexta-feira (24) e hoje, e a margem de erro é de 2,2 pontos percentuais, para mais e para menos.

O levantamento do Sensus confirma outra pesquisa, divulgada mais cedo pela CNT/MDA, segundo a qual Aécio Neves passou à frente da candidata petista. Ele agora somaria 50,3% das intenções de votos válidos contra 49,7% de Dilma. Na última pesquisa CNT/MDA, divulgada no dia 20 de outubro, Dilma aparecia com 50,5% dos votos válidos, contra 49,5% de Aécio.

A intenção de votos espontânea mostra os candidatos empatados tecnicamente. Aécio tem 44,4% dos votos e Dilma, 43,3%. Na pesquisa estimulada os números vão a 45,3% para o tucano e 44,7% para a candidata à reeleição.dilma-aecio-debate-record-by-divulgacao

Datafolha/votos válidos: Dilma, 52%; Aécio, 48%

dilma-aécioDo G1

Pesquisa Datafolha divulgada neste sábado (25) aponta os seguintes percentuais de votos válidos no segundo turno da corrida para a Presidência da República:
– Dilma Rousseff
 (PT): 52%
– Aécio Neves 
(PSDB): 48%

Para calcular esses votos, são excluídos da amostra os votos brancos, os nulos e os eleitores que se declaram indecisos. O procedimento é o mesmo utilizado pela Justiça Eleitoral para divulgar o resultado oficial da eleição.

A pesquisa foi encomendada pela TV Globo e pelo jornal ‘Folha de S.Paulo’.

De acordo com o Datafolha, a presidente Dilma Rousseff (PT) chega à véspera da votação empatada tecnicamente com seu adversário, Aécio Neves (PSDB). Mas, segundo o instituto, ‘é maior a probabilidade de Dilma estar à frente’.

No levantamento anterior do instituto, divulgado no dia 23, Dilma tinha 53%, e Aécio, 47%.

Votos totais
Se forem incluídos os votos brancos e nulos e dos eleitores que se declaram indecisos, os votos totais da pesquisa estimulada são:

– Dilma Rousseff (PT): 47%
– Aécio Neves (PSDB): 43%
– Em branco/nulo/nenhum: 5%
– Não sabe: 5%

Os dois candidatos estão tecnicamente empatados dentro do limite da margem de erro.

O Datafolha ouviu 19.318 eleitores em 400 municípios nos dias 24 e 25 de outubro. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%. Isso significa que, se forem realizados 100 levantamentos, em 95 deles os resultados estariam dentro da margem de erro de dois pontos prevista. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-01210/2014.

Certeza do voto
O Datafolha também perguntou, entre os dois candidatos, em quem os eleitores votariam com certeza, em quem talvez votassem e em qual não votariam de jeito nenhum. Veja os números:

Dilma
46% – votariam com certeza
14% – talvez votassem
38% – não votariam de jeito nenhum
1% – não sabe

Aécio
41% – votariam com certeza
16% – talvez votassem
41% – não votariam de jeito nenhum
2% – não sabem

1º turno
No primeiro turno, Dilma teve 41,59% dos votos válidos e Aécio, 33,55% .

No dia da votação, Humberto Costa reúne aliados de Dilma

Coordenador da campanha à reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT) em Pernambuco, o senador Humberto Costa realiza neste domingo (26) um café-da-manhã com lideranças que apoiam a candidatura da petista no Estado.

O encontro vai acontecer a partir das 7h da manhã. Às 10h, Humberto vota na Escola Brigadeiro Eduardo Gomes , em Boa Viagem.