ARTIGO — Como líderes enfrentam seus desafios emocionais e de suas equipes?

Por Fernanda Andrade

Ser líder é um desafio. Além de competência técnica, é preciso muita sabedoria e inteligência emocional. Afinal, é necessário lidar não apenas com as suas próprias dificuldades, mas com as de toda a equipe. É preciso cada vez mais conhecer a si e a seu time. Conhecer características individuais da equipe é fundamental para o desenvolvimento de todos. Uma pesquisa da consultoria de recrutamento Egon Zehnder, mostra que lidar com questões comportamentais tem sido a principal dificuldade entre 402 presidentes de empresas em 11 países, inclusive no Brasil, com receitas combinadas de 2,6 trilhões de dólares.

Buscar autocons­ciência, conseguir expressar vulnerabilidade, construir o time de gestores e comandar a transformação cultural das empresas foram apontados como os maiores desafios desses líderes. E, num contexto de extrema vulnerabilidade e mudanças constantes, buscar espaço para conhecer a si mesmo e refletir é uma questão de sobrevivência no mundo corporativo. É que o nosso cérebro é programado para a manutenção do status quo, para o esforço mínimo. Assim, sair do automático requer muita disciplina e força de vontade.

A pressão é constante. Essa mesma pesquisa mostra que 86% dos executivos no Brasil consideram necessário mudar a si mesmos enquanto mudam a empresa. No mundo, a proporção é de 79%. Por isso, cada vez mais os treinamentos empresariais estão apresentando abordagens diferentes, mais direcionadas para as questões de autoconhecimento, equilíbrio e inteligência emocional. Autoconhecimento tem sido a maior ferramenta dos líderes.

Muitos estão lotando salas de aula em busca de conhecimentos sobre coaching, programação neurolinguística e até meditação, como forma de se conhecerem e acalmarem suas mentes. Executivos engravatados sentando em pufes, montando estratégias com Lego e fazendo uso de lápis de cor, giz de cera, canetinha são cenas cada vez mais frequentes. O despertar da criatividade e das emoções passa pelo experimento de técnicas mais lúdicas, que visam integrar os dois lados do cérebro.

Tudo isso requer dos líderes uma boa dose de humildade. É preciso deixar a vaidade de lado e entender que o mundo mudou e eles precisam mudar junto. Aceitar aprender com os mais jovens e estar aberto para feedbacks de seus subordinados faz parte da rotina da liderança atual. Se despir de velhas crenças e abraçar o novo é o único caminho para os líderes que desejam enfrentar os seus desafios emocionais e tornarem-se referências para suas equipes.

Casos de sarampo aumentam no mundo, alerta OMS

Agência Brasil

Relatório divulgado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em parceria com o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) alerta para o aumento de casos de sarampo no mundo. Os números mostram que, nos quatro primeiros meses deste ano, foram registrados 79.329 casos da doença, contra 72.047 no mesmo período de 2017.

O pico da doença foi registrado no mês de março, quando foram identificados 25.493 casos. A maior parte dos casos de sarampo registrados em 2018 foram identificados em países como Uganda e Nigéria, na África; Venezuela, nas Américas; Iêmen, Emirados Árabes Unidos, Síria, Sudão e Paquistão, no Mediterrâneo Oriental; Ucrânia, Sérvia, Rússia e Romênia, na Europa; Índia, Tailândia, Mianmar e Indonésia, no Sudeste Asiático; e Filipinas e Malásia, no Sudeste Asiático.

Surtos no Brasil
De acordo com o Ministério da Saúde, o Brasil enfrenta pelo menos dois surtos de sarampo – em Roraima e no Amazonas. Até o dia 27 de junho, foram confirmados 265 casos de sarampo no Amazonas, sendo que 1.693 permanecem em investigação. Já Roraima confirmou 200 casos da doença, enquanto 179 continuam em investigação.

Ainda segundo a pasta, casos isolados e relacionados à importação foram identificados nos estados de São Paulo (1), Rio Grande do Sul (6); e Rondônia (1). Outros estados têm casos suspeitos, mas que ainda não foram confirmados. Até o momento, o Rio de Janeiro informou oficialmente 18 casos suspeitos e dois casos confirmados de sarampo.

“O Ministério da Saúde permanece acompanhando a situação e prestando o apoio necessário ao Estado. Cabe esclarecer que as medidas de bloqueio de vacinação, mesmo em casos suspeitos, foram realizadas em todos os estados”, diz o ministério.

Em 2016, o Brasil recebeu da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) o certificado de eliminação da circulação do vírus do sarampo.

Exposição “Afluências” em Cartaz no Sesc Garanhuns

Entre os dias 19/07 a 26/09 moradores de Garanhuns e turistas terão a oportunidade de conhecer um pouco mais os artistas visuais da cidade. É que entrará em cartaz, na Galeria Ronaldo White Sesc, a exposição, “Afluências”, compondo a grade de programação do Sesc para a 28ª edição do Festival de Inverno, que ocorrerá entre os dias 19 a 28 de julho.

Durante o Festival de Inverno, a exposição funcionará em horário especial: das 9h às 21h. No dia 19 ocorrerá o vernissage da exposição. Já no dia 22, a partir das 17h, será realizado um bate papo com os artistas que terão as obras expostas e com as curadoras. Na mesma data ainda haverá a performance Makeup de Clóvis Teodorico. A partir das 20h ocorrerá o lançamento do livro “Tabela poética dos números irreversíveis”, de Daniel Santiago.

“Afluências” tem a curadoria de Clarissa Diniz e Valkiria Dias Porto e tem a proposta de trazer um recorte das artes visuais de Garanhuns, com destaque à arte contemporânea, fazendo dialogar artistas da atualidade e os já consagrados, que escreveram capítulos importantes da arte garanhuense.

Sérgio Lemos, Daniel Santiago, Jairo Arcoverde, Ismael Caldas, Clóvis Teodorico, Marcela Camelo, Renata Romão, José Godoy, Fernando Rezel, Sapo Lendário, Felipe Correia, José Veríssimo, Marcos Siqueira, Romualdo, Mestre Fida são os nomes que integração a mostra de artes.

A professora de artes e coordenadora geral do projeto, Valkiria Dias Porto, destaca a proposta da exposição. “Afluências traz um recorte que revelará ao público a produção em artes visuais que a cidade de Garanhuns possui desde a década de 1960 com importantes representantes da história da arte de Pernambuco, como é o caso de Daniel Santiago, Jairo Arcoverde, Sérgio Lemos e Ismael Caldas (falecido em 2016), traçando um diálogo com a produção atual de arte contemporânea com jovens artistas, utilizando-se de suportes e tecnologias diversas para criar, traçando uma relação direta com os anseios e as influências locais”.

A mostra terá ainda a presença de obras de mestres da arte popular como José Veríssimo e Mestre Fida, entre outros, fazendo uma referência ao trabalho realizado por Janete Costa em Pernambuco. Será realizado um trabalho educativo durante todo o período da exposição com mediadores que receberão o público e os grupos escolares que agendarem visitas.

O Sesc Garanhuns está localizado na Rua Manoel Clemente, 136, no Centro. A visitação é gratuita.

Sesc – O Serviço Social do Comércio (Sesc) foi criado em 1946. Em Pernambuco, iniciou suas atividades em 1947. Oferece para os funcionários do comércio de bens, serviços e turismo, bem como para o público geral, a preços módicos ou gratuitamente, atividades nas áreas de educação, saúde, cultura, recreação, esporte, turismo e assistência social. Atualmente, existem 19 unidades do Sesc do Litoral ao Sertão do estado, incluindo dois hotéis, em Garanhuns e Triunfo. Essas unidades dispõem de escolas, equipamentos culturais (como teatros e galerias de arte), restaurantes, academias, quadras poliesportivas, campos de futebol, entre outros espaços e projetos. Para conhecer cada unidade, os projetos ou acessar a programação do mês do Sesc em Pernambuco, basta acessar www.sescpe.org.br.

Regularização na oferta influencia queda nos preços das hortaliças

As principais hortaliças comercializadas no atacado ficaram mais baratas no último mês. O bom resultado ao consumidor é reflexo do restabelecimento da oferta dos produtos nas Centrais de Abastecimento (Ceasas) do país, como aponta o 7º Boletim Prohort, divulgado nesta terça-feira (17) pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

Além do fim da greve dos caminhoneiros, que liberou o escoamento da produção, o segundo semestre é marcado pela entrada da safra de várias culturas, como no caso da cebola, que chegou a registrar diminuição de 40,85% no preço na Ceasa em Recife. A partir do segundo semestre, a produção da hortaliça é pulverizada pelo país com produtores do Nordeste, Sudeste e Centro-Oeste abastecendo os principais mercados atacadistas. Com mais produto no mercado nacional, a possibilidade de importação também caiu, o que ajuda na redução dos preços.

Também seguiram as tendências de baixa o tomate, que teve maior queda registrada em Fortaleza (42,2%), a alface, tendo como destaque a redução de 54,5% em Recife, a cenoura, com redução de 41,4% em Goiânia, e a batata com queda de 30,6% no Rio de Janeiro.

Já os preços das frutas devem pesar na conta do mês. Ao analisar o comportamento da comercialização no atacado, foi verificada alta em três dos produtos analisados. A maior demanda pela maçã influencia na alta de até 16,9% registrada no Rio de Janeiro. Já a baixa oferta do mamão impulsionou o aumento nas cotações. No caso da banana, a entrada da fruta da Colômbia e do Paraguai refletiram na elevação dos preços no atacado.

A melancia e a laranja chegaram a registrar queda em, pelo menos, quatro centrais analisadas. Mas, enquanto a melancia deve seguir com queda nos próximos meses, a laranja tende a registrar menor oferta do produto no mercado, já que a indústria deve intensificar a demanda da fruta para moagem.

Para aliviar o bolso e economizar na feira, foram registradas algumas quedas importantes de preços para o pêssego (14%), jabuticaba e graviola (11%), maracujá (9%), agrião (26%), rúcula (18%), beterraba (16%), rabanete e jiló (12%), couve-flor e berinjela (11%).

Parque de Serra dos Cavalos recebe diversos cursos

A Secretaria de Sustentabilidade e Desenvolvimento Rural (SUDER) da Prefeitura de Caruaru, em parceria com o Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA), deu início nesta segunda-feira (16) e segue até o próximo dia 19 de julho, o Curso de Formação de Modelos de Produção de Orgânicos. A capacitação acontece na sede do Parque Natural Municipal Professor João Vasconcelos Sobrinho – Serra dos Cavalos.

O Curso será ministrado por técnicos do IPA, cabendo a Prefeitura o fornecimento da estrutura e captação do público para o curso.

No próximo mês, de 06 a 09, será a vez do Curso: Plantas que curam e Cura pelas ervas (plantas medicinais), também oferecido por técnicos do IPA em parceria com a Prefeitura. Já no mês de setembro, também na sede do Parque, ocorrerá o Curso: Produção de Licores Vinagres e Vinhos, nos dias 17 a 21, em horário integral. Este Curso será oferecido pelo SENAR – Serviço de Aprendizagem Rural, com apoio do IPA e da Prefeitura.

O objetivo dos cursos é oferecer alternativas econômicas para a comunidade que vive no entorno do Parque Professor João Vasconcelos Sobrinho – Serra dos Cavalos.

/**/

Gabriel Diniz e Xand Avião entre as atrações da 21ª Corrida da Galinha

21ª Corrida da Galinha já está confirmada para acontecer entre 01 e 05 de agosto, em São Bento do Una, no agreste pernambucano. Além das tradicionais e irreverentes competições, o evento vai contar com a terceira Feria de Avicultura do Nordeste, atividades culturais e grandes shows, como de Gabriel Diniz, no dia 03 (sexta), e Xand Avião, fechando o festival, no dia 05 (domingo).

Todas as atrações do evento, com estrutura montada no Parque de Exposições Eládio Porfírio de Macedo, são gratuitas e abertas ao público.

Governo publica decreto que antecipa 13º salário para aposentados

Agência Brasil

O decreto que antecipa a primeira parcela do 13° salário de aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) foi publicado na edição desta terça-feira (17) do Diário Oficial da União. A medida foi assinada ontem (16) pelo presidente Michel Temer e prevê que o pagamento ocorra junto com a remuneração de agosto.

A primeira parcela do abono anual corresponderá a até 50% do valor do benefício. O valor restante será pago com a remuneração de novembro. De acordo com o governo federal, a medida deve injetar R$ 21 bilhões na economia do país e movimentar o comércio e outros setores.

Como determina a legislação, não haverá desconto de Imposto de Renda na primeira parcela paga a aposentados e pensionistas do INSS. O imposto sobre o valor somente pode ser cobrado na segunda parcela da gratificação natalina, a ser paga em novembro.

Partidos abrem convenções com cenário indefinido

Agência Estado

A quatro dias do início das convenções partidárias que definirão os candidatos à Presidência da República, o cenário de indefinição persiste na grande maioria das pré-campanhas. Presidenciáveis ainda negociam alianças e nenhuma das candidaturas consideradas competitivas, segundo as mais recentes pesquisas de intenção de voto, conseguiu definir o candidato a vice na chapa.

A análise de políticos e cientistas políticos converge num ponto: vivemos uma eleição atípica, com um xadrez político bastante pulverizado – reflexo do desgaste dos principais partidos e da polarização PT-PSDB.

Outros elementos apontados são a falta de poder de aglutinação do governo federal e a diminuição dos recursos para as campanhas com o fim do financiamento empresarial. Neste quadro, partidos e pré-candidatos têm deixado a definição das articulações para a última hora.

Momento importante do calendário eleitoral, as convenções são reuniões de filiados e delegados das siglas para a oficialização das candidaturas e alianças partidárias.

O PDT será a primeira legenda grande ou média a realizar convenção, na sexta-feira, quando vai anunciar a candidatura de Ciro Gomes. O ex-ministro e ex-governador do Ceará negocia um arco de alianças que vai do PCdoB ao DEM (incluindo agremiações do chamado Centrão, como PP e Solidariedade). Não deve ser anunciado, porém, nenhum acordo partidário nem o companheiro de chapa de Ciro.

“No dia 20, vamos fazer nossa convenção e anunciar a candidatura do Ciro. Se tiver novidade até lá, ótimo. Se não, deixaremos delegados à executiva os poderes para definir (coligações e o cargo de vice)”, disse o presidente do PDT, Carlos Lupi.

O complexo cenário eleitoral fez com que, além de Ciro, outras pré-candidaturas mais bem posicionadas nas pesquisas em cenários sem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) – Jair Bolsonaro (PSL), Marina Silva (Rede), Geraldo Alckmin (PSDB) e Alvaro Dias (Podemos) – ainda não tenham fechado acordos para postulantes a vice. O PT insiste em Lula, condenado e preso na Lava Jato, embora o ex-presidente esteja potencialmente enquadrado na Lei da Ficha Limpa. O partido deverá protelar ao máximo o anúncio de eventual “plano B”.

A maior parte das siglas (PSDB, Rede, MDB, Podemos e Novo) deixou as convenções para 4 de agosto, véspera do prazo final. O PSB fará a reunião na data-limite: 5 de agosto.

A mais recente pesquisa Ibope mostrou que a “taxa de alienação”, que considera a soma de abstenções com votos em branco e nulos, alcançou 41%. Essa indefinição é considerada inédita a cem dias das eleições desde a redemocratização. Para especialistas, esse fenômeno influencia a escolha do vice, já que ainda não há uma definição clara entre os políticos dos perfis que o eleitorado procura.

‘Incertezas’

“A questão do vice está muito ligada ao tempo de TV e à aliança nos Estados. Desta vez, além disso, temos um eleitorado que está tendendo aos extremos. Acredito que os candidatos estejam procurando vices que, além dos benefícios de tempo de TV, agreguem algo à preferência do eleitor. Agora, incertezas geram incertezas”, disse o cientista político da PUC Minas Malcon Camargo.

Para Carlos Melo, do Insper, os “partidos estão em compasso de espera”. “Vivemos um momento atípico. Uma crise complicada, com os principais partidos em um momento de muito desgaste. O governo federal não tem poder de aglutinação. Não estamos divididos entre situação e oposição, porque o governo é fraco e desgastado. E deixa a oposição um pouco perdida”, disse. “Ainda tem o caso do Lula, que provavelmente não será candidato, mas está na narrativa do PT. Isso causa uma indefinição muito grande.”

Nesse aspecto, há negociações que abrangem espectros políticos bem diferentes. O PR articula aliança em conjunto com o Centrão ou pode fazer dobradinha com o PT ou o PSL de Bolsonaro. Por enquanto, o PSOL, que fará convenção no sábado, é o único que definiu uma chapa pura para o Planalto: Guilherme Boulos e a indígena Sonia Guajajara. O PCdoB vai decidir entre os dias 21 e 23 a estratégia. Estão na mesa três propostas: a manutenção da candidatura de Manuela d’Ávila, apoio ao nome do PT ou aliança com Ciro.

Pesquisa aponta empate técnico para governo de PE nas eleições

Diario de Pernambuco

Na segunda pesquisa sobre a corrida eleitoral deste ano em Pernambuco, realizada pela Datamétrica, entre os dias 11 e 12 de julho, observa-se pouca mudança em comparação à primeira, feita entre 8 e 9 de junho. Os três principais candidatos cresceram um pouco e as posições relativas deles permanecem as mesmas, tanto na intenção de voto espontânea como na estimulada. Paulo Câmara (PSB) na liderança, seguido de Marília Arraes (PT) e de Armando Monteiro (PTB). Estatisticamente, entretanto, os três continuam num empate técnico. A margem de erro é de quatro pontos percentuais para mais ou para menos.

A intenção espontânea de voto apresenta Paulo Câmara com 13% (em junho ele tinha 12%), Marília Arraes com 11% (em junho ela tinha 8%) e Armando Monteiro com 6% (sendo 4% a registrada em junho). Os demais candidatos obtiveram, cada um, menos de 1% das intenções de voto. Os indecisos cresceram de 39% para 53%, e aqueles votariam branco ou nulo caíram de 28% para 14%.

A intenção estimulada de voto no cenário, considerando a participação da pré-candidata do PT, repete a ordem dos candidatos da espontânea, sendo todos com índices maiores, como se esperaria das respostas estimuladas. Os números de 25% (Paulo Câmara), 21% (Marília Arraes) e 17% (Armando Monteiro) confirmam a liderança do governador, ainda que estejam todos empatados dentro da margem de erro.

Os números da pesquisa anterior foram: 20%, 17% e 14%, respectivamente. Os demais candidatos ficaram entre 0% e 2%. A mudança expressiva foi dos brancos e nulos, que caíram de 35% para 26%, o que é natural à medida que a eleição se avizinha.
O cenário sem a pré-candidata do PT mantém o governador na liderança, com 28%, seguido do pré-candidato do PTB, com 22%. A distância de 6 pontos, entretanto, ainda significa empate técnico. Nessa simulação, os demais candidatos atingem, cada um, no máximo 2%. Votos brancos e nulos seriam de 33% (antes 42%).

Indecisos caíram somente 1% (de 10% para 9%). A migração dos votos de Marília Arraes, quando se retira o nome dela da disputa, sugere uma preferência clara do seu eleitorado por Armando Monteiro. O pré-candidato do PTB recebe 33% dos votos dela, enquanto o governador recebe 13%.

Essa vantagem de Armando Monteiro sobre os votos de Marília Arraes se ampliou significativamente desde a pesquisa de junho, quando ele recebia 20% dos votos que seriam dela, enquanto Paulo Câmara recebia os mesmos 13%.

Segundo Analice Amazonas, sócia-diretora da Datamétrica e responsável técnica pela pesquisa, “a pesquisa não permite decifrar o motivo dessa inclinação maior dos eleitores de Marília a Armando, ou a ampliação dessa vantagem do senador entre junho e agora, mas, seguramente, é uma tendência que foge um pouco das expectativas, se considerarmos os campos ideológicos dos três pré-candidatos”. Confira análise completa da pesquisa neste link.

Para Isaltino, Paulo deve respeitar a decisão do PSB

Folhape

Aliados de Paulo Câmara (PSB) se empenham para viabilizar o apoio interno à candidatura presidencial de Lula, na esperança de contar com os petistas no seu palanque no estado. Mas, caso a direção nacional da sigla opte por marchar com Ciro Gomes (PDT), há quem diga que o governador deve acatar a decisão. “Acho que deve respeitar. Até porque eleição é de dois turnos”, colocou o deputado estadual Isaltino Nascimento, em entrevista ao programa Folha Política, na segunda-feira (16).

O socialista, que já foi filiado ao PT, acha que “o melhor caminho seria com Lula”. “Se a direita não foi com Alckmin (PSDB), deve ir com Bolsonaro. Então o caminho do PSB deve ser Lula, por conta desse legado perante a população brasileira. A decisão é de apoiar o PT e Lula. Mas acho que a não opção não é opção. Partido que quer ter dimensão nacional tem que apoiar alguém. Ou caminha com Lula ou com Ciro”, disse.

Isaltino acha que “se Lula estivesse solto, já tinha tido decisão de aliança com o PSB. Ele estaria influenciando”, pontuou o deputado, que acredita na indicação do ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), para disputar a Presidência.

Para ele, o principal objetivo da legenda, hoje, é permanecer no campo da centro-esquerda. “A decisão não é eleitoral. É política. Vivemos um momento difícil da vida nacional do PSB. Quase foi pra a direita. Tivemos inclusive pessoas que foram para o governo Temer. Eduardo (Campos), naquela sanha para ser presidente, trouxe um monte de gente que não tinham dimensão nenhuma de esquerda, mas foram chamadas para compor o PSB. Então isso levou o partido a se posicionar mais à direita. A posição de Paulo é politica de entender que o país precisa de um outro rumo”, destacou.