Barragem de Serro Azul recebe o nome de Eduardo Campos

Foi promulgada na Assembleia Legislativa de Pernambuco a Lei nº 15.615/2016 que batiza a barragem de Serro Azul, localizada no município de Palmares, de Barragem Governador Eduardo Henrique Accioly Campos. A proposta foi uma iniciativa do deputado estadual Lucas Ramos (PSB) e aprovada por unanimidade pela casa.

“É uma grande homenagem que fazemos a Eduardo colocando o seu nome nesta barragem que vai mudar a realidade da Mata Sul”, destacou Lucas. Além de fundamental para conter as cheias do Rio Una e trazer segurança para várias cidades da região, a Barragem servirá para o armazenamento de água e reforço no abastecimento do Agreste. “No futuro pode se transformar em uma grande atração turística para a comunidade”, afirmou o parlamentar.

A OBRA – Idealizada para conter as cheias do Rio Una após a enchente de 2010, a Barragem Governador Eduardo Campos tem 73 metros de altura e mais de um quilômetro de comprimento. Tem capacidade para armazenar 303 milhões de metros cúbicos e o lago do reservatório terá uma área de 907 hectares que se estende pelos municípios de Palmares, Catende e Bonito. Os recursos para construção vieram do Governo Estadual (R$ 300 milhões) e Federal (R$ 200 milhões) por meio do Programa de Aceleração do Crescimento, PAC.

Família Campos testará reinserção no Poder

Do Blog Coluna Esplanada

A entrada do irmão de Eduardo Campos, Antônio, na vida política – será candidato à Prefeitura de Olinda (PE) – é apenas o pontapé para a reinserção da família no circuito do Poder.

Com o morte de Eduardo e a sua mãe, ex-deputada, agora ministra do TCU, os herdeiros diretos de Miguel Arraes precisam dar continuidade ao clã.

Por isso nos bastidores do PSB a viúva Renata e o primogênito João se preparam discretamente para 2018, contam aliados próximos. Ambos evitam entrevista. Mas ela pretende ter voz na executiva do partido, e o filho deve se lançar a vereador, em 2016, e a deputado federal – pretende seguir a trilha do pai.

O projeto de Antônio Campos quebra parceria de 16 anos do PSB com PCdoB em Pernambuco. O sobrenome assusta aliados e adversários. A presidente nacional do PCdoB, deputada Luciana Santos – ex-prefeita de Olinda – avisou a interlocutores comunistas estar disposta a concorrer de novo ao cargo local.

A pré-candidatura mexe também com o cenário no Estado. O vice-prefeito de Geraldo Júlio no Recife é o comunista Luciano Siqueira – que neste cenário não deve compor a chapa da reeleição.

Livro resgata a atuação de Eduardo Campos na Alepe

O governador Paulo Câmara prestigiou, nesta segunda-feira (28), o lançamento do livro “Perfil Parlamentar Eduardo Campos – Da Assembleia de Pernambuco ao Coração dos Brasileiros”, escrito pelos jornalistas Evaldo Costa, Sérgio Miguel Buarque e Rebeca Silva. Em uma cerimônia na Alepe, familiares, amigos e correligionários do ex-governador puderam conferir mais um capítulo da história do pernambucano. Além de trechos de discursos e depoimentos de deputados, a publicação mostra os caminhos que levaram Eduardo à Casa Joaquim Nabuco no seu primeiro mandato eletivo.
 
“Sabemos que foi um papel muito construtivo o de Eduardo na Alepe. Era uma época em que o Brasil teve momentos importantes, como o impeachment do então presidente Fernando Collor e todo o processo de consolidação do Plano Real. Eduardo foi uma voz aqui no parlamento estadual que falou em favor do Brasil e das instituições democráticas; buscando fazer com que Pernambuco mudasse o seu patamar. E foi importante também para sua formação política”, afirmou Paulo Câmara.
 
João Campos, que falou em nome da família, disse que a publicação compartilha com as futuras gerações o legado do seu pai. “O livro detalha sua dedicação à causa pública, sua coerência e sua capacidade política. E não há melhor forma de aprender do que seguir os bons exemplos. Nas páginas do perfil parlamentar de Eduardo estão escritas lições muito importantes que precisam ser difundidas e praticadas”, destacou o estudante, ao lado da mãe, a ex-primeira-dama Renata Campos, e da irmã Eduarda.
/**/

Lançamento sobre Eduardo Campos será nesta segunda

Às 18h desta segunda-feira (28), o governador Paulo Câmara prestigia o lançamento do livro “Perfil Parlamentar Eduardo Campos – Da Assembleia de Pernambuco ao Coração dos Brasileiros”, na Assembleia Legislativa. De autoria dos jornalistas Evaldo Costa, Sergio Miguel Buarque e Rebeca Silva, a obra foi dividida em seis capítulos e relata a trajetória política do ex-governador durante o seu mandato como deputado estadual (1991-1994).

A publicação também traz depoimentos de ex-parlamentares que integraram a mesma legislatura que Eduardo.

Livro sobre Eduardo Campos será lançado hoje em Caruaru

dudu3

Nesta sexta-feira (28), o professor Jorge Arruda lança o livro “Eduardo Campos: Fé, Resistência e Devoção”. O evento vai acontecer às 19h no Museu do Barro de Caruaru.

A apresentação da obra é do Prefeito da Cidade do Recife, Geraldo Júlio, e o prefácio é do Pe. Pedro Rubens, Reitor da Universidade Católica de Pernambuco – UNICAP, e depoimentos da Antônio Campos e Antonita Cruz. O livro aborda as questões de gênero, Etnia, Homofobia, Xenofobia, racismo institucional, igualdade e diversidade, promoção da igualdade racial, Fé, Amor e Arte de viver, também traz versos e prosas que define com “recados”.

Jorge Arruda foi Assessor Especial do Governo Campos durante 8 anos, debruçou-se e “escutou” singularmente as mensagens escritas na Obra. A Cerimônia, “PLURAL” como chama ARRUDA, acontece nesse sentido, pois entende que Eduardo, já no Além-Mar, merece ser lembrado por todas tradições religiosas cristãs e não cristãs, pois ele gostava de pessoas, de gente com crenças e sem crenças. Gostava de gente.

Segundo ele, além de Caruaru, vai lançar o livro em Camaragibe e Olinda, também no Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília. “Começar as “andanças”, pelo Brasil, pela Região do Agreste de Pernambuco, terras de ações afirmativas é satisfatório. Os convites de vários segmentos sociais e autoridades politicas e religiosas, fez com que eu definisse por Caruaru, sobretudo por conta das resistências daquela região, que contribuiu muito para o desenvolvimento de Pernambuco, com seus tapetes culturais, religiosos, sociais e políticos”, concluiu.

Eduardo Campos dará nome a aeroporto

Da FolhaPE

A Comissão de Viação e Transportes aprovou a proposta que altera o nome do aeroporto do Recife para “Aeroporto Internacional do Recife/Guararapes – Gilberto Freyre e Governador Eduardo Campos”. A proposta foi aprovada na semana de um ano da morte do ex-governador do Estado.

Atualmente, o local leva apenas o nome do escritor e cientista pernambucano Gilberto Freyre, autor do livro Casa-Grande & Senzala, publicado em 1933 e considerado revolucionário para a historiografia brasileira. A mudança de nome está prevista no Projeto de Lei 7937/14, do deputado Gonzaga Patriota (PSB-PE).

O relator na comissão, deputado Mário Negromonte Jr. (PP-BA), recomendou a aprovação da proposta. Conforme observou o relator, mudanças nos nomes oficiais de aeroportos implicam em alterações técnicas e operacionais em sistemas mundiais de cadastro aeroportuário, com custos para o País. Dessa forma, a regra normalmente adotada nos casos de homenagens é a manutenção da denominação original do aeroporto, acrescentando-se a ele o nome do homenageado.

REJEIÇÃO

Na mesma reunião, a comissão rejeitou o PL 7930/14, do ex-deputado João Caldas, que tramita em conjunto e altera o nome do aeroporto para “Aeroporto Internacional de Recife/Guararapes – Governador Eduardo Campos”, excluindo o nome de Gilberto Freyre. O relator recomendou a aprovação da proposta de Patriota em razão de ela manter o nome de Gilberto Freyre na homenagem.

TRAMITAÇÃO

A proposta tramita em caráter conclusivo e ainda será analisada pelas comissões de Cultura; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Governo do Estado homenageia Eduardo Campos

O Governo do Estado prestou, ontem (13), uma homenagem a Eduardo Campos. O ex-governador por dois mandatos (2007-2014) agora dá nome ao Instituto de Gestão de Pernambuco, criado por ele, em 2012. O atual chefe do Executivo pernambucano, Paulo Câmara, assinou decreto formalizando o gesto em ato realizado no Palácio do Campo das Princesas, na presença da ex-primeira-dama Renata Campos e de seus cinco filhos com Eduardo, além de familiares, autoridades e admiradores do ex-governador.

O Instituto de Gestão Governador Eduardo Campos sustentará de forma metodológica o Modelo de Gestão que profissionalizou a administração pública em Pernambuco. O evento de hoje integrou a semana de homenagens à vida de Eduardo Campos, que faria 50 anos na última segunda. O ex-governador faleceu há um ano, em um acidente aéreo durante a campanha presidencial.

“Para transformar a vida das pessoas, Eduardo, além de sua capacidade de diálogo, de construir pontes, do seu aguçado tirocínio político, apostou e ousou, como nunca antes neste Estado, em gestão política. Gestão alicerçada no tripé eficiência, transparência e mérito. Inovou em todas as áreas da gestão, quer na ciência, tecnologia, inovação, saúde, educação; na política fiscal e tributária, nas políticas sociais, entre outras. No que pesa Pernambuco ter uma grande tradição de planejadores, eu não tenho a menor dúvida que não há nome mais apropriado para nominar o Instituto de Gestão do que o nome de Eduardo Henrique Accioly Campos”, ressaltou Paulo Câmara.

Ligado à Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag), o Instituto foi criado em 2 de fevereiro de 2012, através do decreto 37.828, por iniciativa do ex-governador Eduardo Campos para estimular a pesquisa, a troca de experiências e a geração de conteúdo científico e de boas práticas de gestão pública entre os diversos atores envolvidos com o tema, dentro e fora do Estado. O espaço é também o ambiente onde se pensa, desenvolve e documenta o Modelo de Gestão, e, através de um programa de Formação Continuada, promove a qualificação do capital humano que sustenta o Modelo.

Ao destacar que Eduardo Campos implantou em Pernambuco um Modelo de Gestão que ouvia as pessoas, planejava e fazia as entregas, o governador Paulo Câmara salientou os resultados obtidos. “Um Modelo de Gestão que foi premiado no mundo, pela ONU e organismos internacionais. E ele criou o Instituto de Gestão para que a cultura da gestão, do fazer mais com menos e mais rápido, ficasse permanentemente não como uma política de governo, mas uma política de Estado. Mais do que merecido o Instituto de Gestão que ele criou receber o seu nome, porque ele acreditava, como poucos, que a gestão fazia diferença e trazia resultados. Hoje, a prova viva está em todos os resultados que ele conquistou em favor de Pernambuco”, cravou.

Falando em nome da família, João Campos classificou a homenagem como “mais do que justa” ao lembrar as qualificações do pai como gestor público. “Ele conseguiu juntar a capacidade política extraordinária que tinha e se tornar, talvez, o gestor mais eficiente do Brasil. E por isso, ele foi reconhecido internacionalmente pela ONU e por tantas instituições mundo afora. Mas, acima de tudo, e mais importante do que ser reconhecido por tantas instituições de nome, ele teve seu trabalho reconhecido pelo povo de Pernambuco e brasileiro”, salientou. Ao recitar uma poesia do ex-governador da Paraíba, Ronaldo Cunha Lima, emocionado, João Campos enalteceu a intensidade com que o pai viveu. “Eu tenho convicção que, se a vida foi curta para ele, também foi muito larga”, afirmou.

Secretário de Planejamento Gestão, Danilo Cabral disse que o ex-governador foi um líder obstinado e trabalhador, que estruturou um pensamento em um “modo de fazer”. “Esse ato de hoje é um reconhecimento a quem colocou a gestão como estratégica dentro do serviço público, trazendo de volta o que tinha sido deixado de lado por décadas e décadas: o olhar estratégico do planejamento. Hoje, se chegarmos a qualquer secretaria do Estado, os servidores sabem que, para que a gente possa cumprir os compromissos com a população, temos que planejar, executar, avaliar e corrigir. Um símbolo que trouxemos da iniciativa privada. E isso tudo foi materializado também a partir da criação, como quis Eduardo Campos, do avanço do Modelo de Gestão e de um espaço dentro do Governo onde a gente pudesse pensar, formular e pesquisar a gestão pública”, explicou.

Marcelo Gomes presta homenagens a Eduardo e Arraes

marcelo

O vereador Marcelo Gomes (PSB), prestou homenagens, na Câmara Municipal de Caruaru, ao ex-governadores Eduardo Campos e Miguel Arraes na noite desta quinta-feira, 13 de agosto, quando completa um ano da morte de Eduardo e dez anos do falecimento de Arraes.

“Quando Eduardo partiu, de forma abrupta naquele acidente, deixou uma grande lacuna como amigo, como líder e como defensor do próprio legado. Eduardo Campos foi um governador atuante, que fez obras importantes para Caruaru. Ele se foi no mesmo dia em que o avô, Miguel Arraes, faleceu nove anos antes, que fez escola, foi um grande líder e um bom homem para o povo”, frisou o vereador.

Marcelo falou ainda sobre as dificuldades enfrentadas pelo governo do Estado e as medidas para superar a crise política e econômica que o país está vivendo e a situação de Caruaru, quando comparada a outras cidades pernambucanas.

O vereador aproveitou ainda para parabenizar o vereador Jaélcio Tenório, que assumiu o posto de líder do governo de José Queiroz.

No Senado, Humberto presta homenagem a Eduardo

Humberto -- Eduardo

Na sessão especial realizada pelo Senado nesta quinta-feira (13) para reverenciar a memória do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos pela passagem de um ano do seu falecimento, o líder do PT no Casa, Humberto Costa (PE), subiu à tribuna para falar do amigo e relembrar a sua trajetória política.

No discurso, o senador afirmou que a homenagem prestada pela Casa era absolutamente justa a “alguém que conseguiu, ao longo de sua trajetória, construir pontes, relações e produzir consensos”. Para Humberto, a história de Eduardo Campos é profundamente vinculada à história do avô, Miguel Arreas, “outro brasileiro que deixou muita saudades”.

“Eduardo fez um grande projeto que uniu Pernambuco. Costumo dizer que sem Lula o Estado jamais avançaria como avançou. Mas, sem Eduardo, Pernambuco não teria aproveitado a oportunidade. Ele fez uma grande gestão, principalmente porque soube trabalhar em parceria com governo federal”, declarou.

Segundo o senador, Eduardo conseguiu, na prática, mostrar que é possível mexer na estrutura do Estado para ajudar a população. “Ele fez, como costumamos dizer no Nordeste, a máquina moer para os que mais precisavam. Essa foi a maior contribuição que deu ao nosso Estado. Ao Brasil, ele deu a sua contribuição pela capacidade de articulação e diálogo”, comentou.

De acordo com Humberto, no atual ambiente de polaridade e intolerância no país, Eduardo faz muita falta. “Qualquer que fosse a sua posição e mesmo que fosse um político sem mandato agora, ele estaria tentando unir a nossa sociedade para superar a crise e construir um Brasil melhor”, afirmou.

“Em meu nome, no nome de Lula e do PT, fazemos aqui esse reconhecimento do papel cumprido por Eduardo”, disse Humberto.

 

Instituto de Gestão de Pernambuco se chamará Eduardo Campos

O governador Paulo Câmara assina, nesta quinta-feira (13), o decreto que dará o nome de Eduardo Campos ao Instituto de Gestão de Pernambuco, órgão criado em 2012 pelo ex-governador.

A entidade, vinculada à Secretaria de Planejamento e Gestão, desenvolve atividades ligadas à produção e aquisição contínua de novos saberes; além da consolidação e difusão de conceitos, metodologias e práticas modernas no campo da administração pública.